Como criar web vídeo que realmente funciona

Comprimido

http://www.comprimido.pt

create video that actually works, CMI

O vídeo está a dominar, com mais de 4 biliões de horas de vídeo vistas por mês, com tendência para aumentar no futuro. Para se ter uma ideia, o YouTube é agora o segundo motor de busca mais utilizado, logo atrás do Google (monopólio… ?).

Infelizmente, a integração de vídeo numa campanha de marketing não é tão simples como criar um vídeo e colocá-lo no YouTube. A criação de um vídeo eficaz, relevante e bem sucedido, pode trazer grandes impactos no negócio, mas levanta-se a questão, como integrar o vídeo com sucesso ?

Aqui, vamos explorar os princípios e as especificidades do vídeo enquanto media, discutir questões que interessam  considerar  no brainstorming de ideias para conteúdos vídeo, e sugerir alguns tipos de conteúdo que normalmente funcionam bem para vídeo, usando estudos de caso para destacar e ilustrar.

Entender o vídeo como um media único

O erro mais comum cometido pelas empresas quando criam vídeo é pensar o conteúdo de vídeo como sendo idêntico aos posts de um blog, ou ao conteúdo infográfico, em vez de pensar no vídeo como um formato de media único e independente. Enquanto os posts e as infografias são compostos por texto e conteúdo de imagem, o vídeo utiliza texto, imagens em movimento e som, tudo  simultaneamente, tornando-se um formato mais completo.

No entanto, o vídeo, nem sempre é um meio apropriado para todos os objectivos do conteúdo. Se alguma vez tentar “converter” o conteúdo num vídeo “à força”, em vez de desenvolver a idéia de vídeo de forma orgânica, é um bom indicador de como o processo criativo falhou.

Sinais de que você está, de facto, a tentar converter à força conteúdos não adaptáveis ao vídeo em vídeo, incluem:

A falta de uma história : O vídeo presta-se naturalmente a uma curva narrativa, incluindo um clímax e resolução. Se tem um produto ou serviço que está a tentar vender, não use toda a duração do seu vídeo “forçando” a venda. Em vez disso, crie um contexto de narrativa em torno do produto.

Um complexo call to action : Se estiver a tentar convencer o leitor a completar uma acção complexa, ou prolongada, tem que considerar dividir o conteúdo em partes mais pequenas – cada uma com um específico call to action. Em contraste, os vídeos devem e podem ter uma ligação muito simples e directa para a acção.

Muito conteúdo para partilhar : A duração de um vídeo não deve ultrapassar os quatro minutos. Se tiver tanto conteúdo que mereça um vídeo de 10 minutos, ele não será tão eficaz, porque os espectadores provavelmente vão perder o interesse. Se este for o caso, é aconselhável utilizar outro tipo de media.

 

Perguntas a fazer ao criar conteúdo de vídeo

Há duas perguntas que poderá fazer à sua equipa de marketing, que determinarão se uma ideia vai ou não vai funcionar bem com um vídeo :

1. Perderia o sentido, este conteúdo, se fosse em forma de texto e imagem ? Se o seu conteúdo perdesse significado ou relevância, se não fosse acompanhado de informação visual ou de áudio, a opção viável será o vídeo. Contudo, se a conclusão for a contrária, e puder imaginar passar a sua mensagem de forma eficaz, sem recorrer ao vídeo, então não use o vídeo. Na dúvida, poderá sempre equacionar o tempo e esforço necessários para produzir um vídeo, e ver se valerá a pena. Ou não.

Exemplo: Do.com

Um grande exemplo de conteúdo que perderia muito do seu humor e significado fora do vídeo é o vídeo Do.com. Do.com é uma aplicação de produtividade social para a gestão de tarefas e projectos. O vídeo dá um toque bem-humorado e pessoal sobre o  produto, apresentando uma criança a candidatar-se para presidente da associação de estudantes – e ter sucesso por causa da sua app.

Este vídeo inclui diálogo entre personagens, narração e música emotiva, e há também um call to action muito simples através de texto no quadro. Além disso, o conteúdo deste vídeo não seria tão simpático e engraçado se fosse comunicado noutro formato. As imagens em movimento criam humor ao retratar uma criança a concorrer para presidente da associação de estudantes como um adulto profissional. A mesma escala de humor não poderia ter sido obtida apenas com imagens estáticas. As imagens em movimento também criam um “arco” de história de sucesso.

Takeaway: Se o conteúdo requerer texto, imagens e elementos de áudio para ter mais significado, então o conteúdo é provavelmente bem adequado para o vídeo.

 

2. O conteúdo requer engagement, quer ao nível estético (visual), quer conceptual ? 

Na primeira questão, discutimos se o conteúdo perderia sentido se tomasse uma forma diferente de media quenão o vídeo. Nesta segunda questão, vamos perguntar se sua idéia requer movimento visual ou auditivo, a fim de se tornar atraente ? Por exemplo, para o conteúdo que você precisa para descrever um processo/produto/serviço complexo, usando um formato escrito pode ser muito seco ou difícil de entender sem o benefício do som e da imagem. Não se esqueça que uma imagem pode valer por milhares de caracteres.

Exemplo: Teste do Google Analytics 

Abaixo está um vídeo para aqueles que praticam para o exame individual de qualificação do Google Analytics (teste GAIQ).

Embora o vídeo seja certamente uma boa opção, a informação transmitida neste vídeo, em última instância, não é apropriada para vídeo – é muito texto e principalmente conceptual, com um engagement visual diminuto. Também o ritmo é fraco para o objectivo principal do conteúdo, que é a compreensão e aprendizagem. A apresentação visual e a utilização de imagens, não acrescentam nada à experiência, pois é apenas uma lista de texto. Este vídeo iria de certeza funcionar melhor como posts de texto num blog com imagens a acompanhar.

 

Objectivos de conteúdo para os quais o vídeo é indicado

Além da filtragem de ideias de conteúdo através da aplicação das duas perguntas anteriores, poderá usar ainda a seguinte lista de estudos de caso como um guia que sirva para apurar que tipos de conteúdo normalmente funcionam bem em forma de vídeo :

1. Promover um produto físico ou um serviço

Exemplo: Ideasbynet

A Ideasbynet lançou um vídeo do seu produto que é um suporte magnético para iPhone e que “desafia” a gravidade :

Takeaway : Mantenha os seus vídeos promocionais de produto focados em demonstrar o produto, em vez de apenas falar sobre ele. Verifique se o seu produto é apresentado de uma forma relevante e útil, como é o caso deste produto.

Exemplo : Allstate Insurance Série “Mayhem” da Allstate Insurance :

Este exemplo é da seguradora Allstate, e é um trecho da sua série “Mayhem” :

Takeaway: Este vídeo é um grande exemplo de criatividade e relevância. Ele é relevante para os espectadores, porque a maioria de nós têm lidado com a frustração de um GPS desatualizado, e este vídeo retrata essa situação numa perspectiva bem-humorada.


2. Conteúdo criativo ou divertido 

Exemplo : Dollar Shave Club

Neste vídeo publicitário feito pelo Dollar Shave Club, o CEO da empresa discute os benefícios do seu produto e serviço :

Takeaway : Este vídeo é um grande exemplo de conteúdo criativo e original. O diálogo é conciso, enquanto o conteúdo é muito contundente, o que faz dele um vídeo divertido e interessante. Não tenha medo de ser criativo com o seu conteúdo de marketing, porque os vídeos engraçados, ou únicos, irão atrair a maioria dos espectadores – ninguém quer ver um vídeo que é igual a outros mil  vídeos no YouTube..


3. Dar vida a uma notícia

Exemplo : L’Oréal Paris

Neste vídeo, patrocinado pela L’Oréal Paris, a empresa divulga informações e estatísticas sobre o cancro do ovário :

Takeaway : Não faça um vídeo cheio de estatísticas e informações – é o tipo de conteúdo que seria tão facilmente adequado para formatos de texto ou infografia. Verifique se o seu press release funciona bem com o conteúdo de vídeo.


4. Tutoriais e Instruções

Exemplo : Simply Business

Aqui está um vídeo-tutorial sobre como criar uma empresa de consultoria, da autoria da Simply Business, uma empresa de seguros, com base no Reino Unido :

Takeaway : Um conteúdo de instruções deve incluir todos os três componentes-chave do vídeo : áudio, imagem e texto / diálogo. Não basta mostrar algo aos seus espectadores sem explicá-lo. O tutorial tem uma tendência a ser longo e prolongado, pelo que deve variar o seu conteúdo com entrevistas pessoais ou opiniões de produtos / serviços, para torná-lo mais atraente.

 

5. Veicular a informação

Exemplo : atletas olímpicos

Este vídeo fornece informações sobre a atleta olímpica norte-americana, Sanya Richards-Ross :

Takeaway : Este vídeo fornece aos espectadores muita informação autobiográfica, e apesar de ser muita informação, ela prende a atenção do espectador, porque é curto, conciso, e tem o tal “arco” de história. Lembre-se : se estiver a apresentar conteúdo informativo, use uma narrativa curta e linear para manter os espectadores interessados.

 

6. Cobertura de eventos ao vivo

Exemplo : A conferência SearchLove

Este vídeo, da Distilled, inclui entrevistas ao vivo, oradores e comentários a partir de uma das conferências SearchLove :

Takeaway : este vídeo envolve os espectadores, porque ele usa uma variedade de tipos de conteúdo (entrevistas, comentários, oradores, etc.) Se o vídeo simplesmente tivesse apenas gravado um orador a falar durante cinco minutos, os espectadores provavelmente perderiam o interesse logo no início do vídeo. O vídeo funciona bem como uma compilação de vários trechos em vez de uma gravação do evento seguida e aborrecida..

 

Conclusão

Se estiver envolvido no mundo do marketing e ainda não percebeu o poder e a importância do vídeo, então, pode começar agora ! Com mais de 800 milhões de visitantes únicos por mês, o YouTube mostra que as pessoas gostam de vídeo. Mas, com tantos vídeos online, o seu deve ser de alto nível em conteúdo e valor criativo.

 

Fonte : Content Marketing Institute

Comprimido

http://www.comprimido.pt

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You might also likeclose