YouTube, Instagram e Pinterest: retrato do utilizador jovem português

YouTube, Instagram e Pinterest: retrato do utilizador jovem português

Importa, por isso, conhecer melhor o perfil dos seus utilizadores por cá, com base no estudo Geração Y: Um Novo Paradigma Laboral, promovido pela Hays com base em inquéritos feitos a jovens com menos de 35 anos e que compõem a chamada Geração Y no nosso país.

Entre as três redes, o YouTube é, indiscutivelmente, o canal preferido pelos jovens portugueses para partilhar conteúdos multimédia através da Internet. Metade dos inquiridos neste estudo (51%) recorre frequentemente ao YouTube. De acordo com o estudo da Hays, são sobretudo os jovens do sexo masculino e com idade inferior a 23 anos quem mais recorre a este canal multimédia. Mas a utilização do canal mantém-se regular até aos 30 anos e tende mesmo a intensificar-se a partir dessa idade. Até aos 35 anos, pela metade dos inquiridos em todas as faixas etárias afirma frequentar o YouTube.

A muita distância, o Instagram é utilizado por 23% dos inquiridos neste estudo e tem vindo a afirmar-se como uma rede social privilegiada para a partilha de fotografias caracterizadas pela sua qualidade artística e estética. Aqui há claramente uma preferência pelo sexo feminino (32% de mulheres versus 15% de homens) e pelos jovens até aos 26 anos, onde as preferências atingem quase os 40%. A partir dos 27 e até aos 35 anos, o uso e preferência caem a pique, ficando-se no limite pelos 15 por cento.

Menos expressiva entre nós é a adoção do Pinterest, que introduziu entre nós o conceito de “pin”, ou seja, de “afixar” fotografias (e agora outros conteúdos) a “quadros” virtuais, gerando coleções consoante interesses. Apenas 7% dos inquiridos até aos 35 anos em Portugal assume usar o Pinterest. Ainda assim, as utilizadoras do sexo feminino assumem apreciar esta ferramenta tecnológica (13%), sendo os homens quase inexistentes aqui. Por faixas etárias, a sua utilização é constante e quase inalterada, nunca ultrapassando os 10% de preferências.Vídeo ajuda a incrementar vendas e deve integrar a comunicação

O que prefere: folhear um folheto ou uma brochura ou ver um pequeno vídeo acerca de um produto ou serviço em que está interessado(a)? Muito provavelmente, preferirá o vídeo, tal como preferirá visualizá-lo no mural das redes sociais que usa, em detrimento de conteúdos estáticos. Também os (outros) consumidores preferem comprar produtos ou serviços sobre os quais possam visualizar previamente vídeos explicativos.

Esta é a conclusão de um estudo divulgado pela Animoto, uma aplicação que permite criar e partilhar vídeos. O estudo foi realizado junto de um milhar de consumidores norte-americanos e concluiu que 73% dos inquiridos decidir-se-ia pela compra de determinado produto ou serviço se pudesse assistir a um vídeo demonstrativo. Leia aqui as outras conclusões e dicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *